Em época de Copa do Mundo, cuidado com a entorse do tornozelo


>



Torção do tornozelo: mais do que um incômodo

Copa do Mundo chegando e não há como evitar de falar em lesões. Com vários jogadores se lesionando, vamos falar da entorses do tornozelo, que é a lesão mais comum no futebol. Talvez você não tenha como evitar que a primeira delas ocorra, mas pode fazer muito para impedir as seguintes.

Esse tipo de lesão geralmente segue um padrão típico. A maioria acontece quando a sola do pé gira para dentro, lesionando os ligamentos na parte exterior do tornozelo — por exemplo, ao pisar sobre uma superfície desnivelada no gramado ou sobre o pé de outro jogador durante a corrida ou na aterrissagem, após um salto. Uma situação típica no futebol acontece quando o adversário chega deslizando e acerta a parte inferior da sua perna por dentro, forçando o pé a torcer-se também para dentro.

Além disso, há fatores pessoais de risco, como a resistência do tornozelo, a amplitude de movimentos e a maneira como você controla os mesmos. Esses fatores podem ser controlados com exercícios específicos, como os que foram incluídos nos "11+".

Um fator importante de risco é uma lesão prévia na região. Tornozeleiras semirrígidas ou com bolsas de ar ajudam a prevenir novas entorses e devem ser usadas por vários meses. Além disso, é possível treinar o equilíbrio usando discos e pranchas instáveis para os tornozelos.

A maioria dos jogadores encara as torções de tornozelo como um incômodo, mas é preciso proteger a região para que ela não volte a se lesionar.

Sintomas e sinais:
• Inchaço (em poucos minutos ou gradualmente, ao longo de várias horas).
• Dor ao tentar mover o tornozelo ou ao caminhar.
• Rigidez e impossibilidade de colocar todo o peso sobre o pé

Primeiros socorros
Aplicar o protocolo PRICE (sigla em inglês para proteção, repouso, gelo, compressão e elevação) ao tornozelo lesionado.

Em época de Copa do Mundo, cuidado com a entorse do tornozelo Em época de Copa do Mundo, cuidado com a entorse do tornozelo Revisado by Faça Fisioterapia on 16:03 Nota: 5