Fisioterapia e os estalos nos joelhos do corredor


>




Estalo no joelho

Acabou o treino da corrida e você começa a escutar um estalo no joelho. Imediatamente, sua cabeça já acende o sinal amarelo, trazendo à tona uma série de questionamentos. Esse som representa algum problema sério nas minhas articulações? Devo diminuir o ritmo nos treinos? Procuro um ortopedista?

Acesse o blog da Fisioterapia

É importante saber como surgem esses estalos. O líquido sinovial, presente nos joelhos, atua como um lubrificante nas articulações. Esse fluido possui alguns gases, que são liberados quando há a dobra da articulação. É essa liberação gasosa que gera o barulho. Você também pode notar os sons quando a articulação se move e retorna à sua posição original. Nesses casos, não há motivo para preocupação.

O ponto-chave para saber se o estalo no joelho deve gerar apreensão é a dor. Se esse som não é associado a um incômodo na região, fique tranquilo. Estalos que não são acompanhados de dor não trazem problema algum às nossas cartilagens e articulações, seja quando estalamos um dedo voluntariamente ou quando os estalos são espontâneos, algo comum nos joelhos e quadris.

Se o estalido vier acompanhado de dor ou inchaço, pode ser indicativo de alguma lesão e necessita de um profissional adequado. Não se deve confundir os estalos com rangidos e crepitações. Esses sons são característicos de uma cartilagem desgastada, já com uma superfície rugosa em vez de uma lisa e sem atrito.

Como a cartilagem se desgasta?

Dentro dos joelhos, há uma camada de cartilagem, que atua como um amortecedor natural para que os ossos não entrem em atrito. Com as atividades de impacto, principalmente quando há uma carga excessiva, esse tecido começa a se degenerar. Perdendo sua capacidade amortecedora, a cartilagem torna-se menos volumosa. No caso do processo degenerativo, esse atrito gera os rangidos e crepitações.

Acesse o blog de Corredores online

O sobrepeso e uma planilha muito puxada podem contribuir para o processo de desgaste da cartilagem, explica a ortopedista Ana Paula Simões. Uma pessoa sem força muscular também está mais suscetível a sofrer com o desgaste da cartilagem, uma vez que a musculatura não absorve o impacto dos movimentos.

Outro fator que influencia é o terreno onde são feitos os treinos. O asfalto castiga mais os joelhos, por exemplo, enquanto grama e areia proporcionam mais conforto às articulações.

Se o praticante corre errado e não faz a parte da correção dos exercícios, provavelmente ele entra em um processo degenerativo acelerado.

Caso o estalo no joelho gere uma insegurança na hora de praticar esportes, é uma boa ideia procurar a opinião de um profissional especializado.

A Fisioterapia traz grandes benefícios para o atleta, como por exemplo o reequilíbrio muscular após uma lesão, a melhora da postura para prevenção de problemas futuros e a orientação quanto aos perigos do treinamento excessiva.  A fisioterapia também pode ajudar os corredores na prevenção de lesões e na melhora da performance, com orientações em relação a postura, pisada e fortalecimentos musculares.Inclusive ajuda para que esses estalos não aconteçam de forma tão repetitiva.



Dicas para Profissionais:
  • Liberação Miofascial - Ventosas + Instrumental+ Manual + Acessórios
  • Curso de Agulhamento a Seco (Dry Needling)
  • Curso - Aprenda a tratar Cervicalgias com Terapia Manual
  • Curso - Aprenda Auriculoterapia
  • Curso - Aprenda Ventosaterapia

  • Fisioterapia e os estalos nos joelhos do corredor Fisioterapia e os estalos nos joelhos do corredor Revisado by Faça Fisioterapia on 03:18 Nota: 5