Pliometria e a reabilitação de atletas







http://www.runningnews.com.br/wp-content/uploads/2014/01/pliom%C3%A9trico.jpg

A maioria das atividades desportivas, como saltar e arremessar, utiliza uma alternância de contrações musculares, denominada de ciclo alongamento- encurtamento, ou seja, um mecanismo fisiológico cuja função é aumentar a eficiência mecânica dos movimentos, nos quais ocorre uma contração muscular excêntrica, seguida, imediatamente, por uma ação concêntrica [1] .

Pliometria é a denominação aplicada a exercícios que tem suas raízes na Europa, onde era originalmente conhecido como treinamento de pulos. Em 1975, o termo pliometria foi cunhado por um treinador de atletismo americano, chamado Fred Wilt.

Com base nas suas origens latinas, Plio + Metria é interpretado como "aumentos mensuráveis" . Os treinadores norte- americanos já usavam pular corda e saltos com bancos, porém não conheciam sua base fisiológica. Foi, então, o treinador soviético Yuri Verkhoshanski, durante o final da década de 60, quem começou a transformar o que eram apenas saltos aleatórios, em treinamento pliométrico organizado .

Komi, Bosco e Cavagna foram pesquisadores que publicaram informações que levaram a teoria do "estende-encurta", como meio auxiliar para aprimoramento do desempenho do atleta.

O exercício pliométrico é composto por um ciclo formado inicialmente por uma ação muscular excêntrica, seguida por uma ação isométrica também conhecida como fase de amortização e finalizada por uma ação concêntrica, analisando sempre o músculo agonista ao movimento realizado.

Um dos meios pelo qual se ativa o ciclo alongamento-encurtamento é a pliometria. Esse método é conhecido por desenvolver potência muscular em atletas. A potência representa o componente principal da boa forma física, que pode ser o parâmetro mais representativo do sucesso nos esportes que requerem força rápida e extrema.

O fundamento principal da pliometria é utilizar os componentes neurofisiológicos para combinar força e velocidade. .

O objetivo da fase final da reabilitação, quando o uso da pliometria é adequado, é a especificidade do treinamento, ou seja, movimento realizado pelo paciente no  tratamento deve corresponder o máximo possível aos movimentos praticados durante a competição, sem prejudicar o estado de saúde do paciente .

Os exercícios pliométricos, não só enfocam o desenvolvimento da capacidade de saltar mas também desenvolvem qualidades de movimento lateral e outros que melhoram a potência da parte superior do corpo, mesmo ela sendo tradicionalmente direcionada para o aperfeiçoamento da potência da parte inferior do corpo. A pliometria não tem sido apenas usada para obtenção de força e condicionamento da parte inferior, mas também como ferramenta de reabilitação e como programa de prevenção de lesões da parte superior do corpo. A pliometria é uma forma de treinamento que procura combinar velocidade de movimento e força e o define como um movimento rápido e vigoroso, que inclui pré-alongamento do músculo e a ativação do ciclo alongamento / encurtamento a fim de potencializar a contração concêntrica subsequente do alongamento, aproveitando-se desse ciclo para aumentar a potência muscular

O propósito dos exercícios de ciclo alongar-encurtar ou de contra movimento é melhorar a capacidade de reação do sistema neuromuscular e armazenar energia elástica durante o pré-alongamento, para que esta seja utilizada durante a fase concêntrica do movimento.

A repetição dessa atividade proporciona o treinamento muscular apropriado, capaz de aprimorar o desempenho de potência de músculos específicos. O uso da pliometria como me-todo de treinamento é baseado principalmente em duas qualidades dinâmicas fundamentais do tecido muscular : elasticidade e contratilidade. Atualmente, a pliometria se tornou essencial para qualquer atleta que salte, arremesse ou levante peso em mento da miofibrila.

Esses exercícios promovem a estimulação dos proprioceptores corporais para facilitar o aumento do recrutamento muscular numa mínima quantidade de tempo. Além da importante contribuição desta técnica para o ganho de potência,de auxílio na melhora do desempenho de controle neuromuscular, porém, somente há pouco a sua importância na prevenção e reabilitação de lesões está sendo discutida.

Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos na Fisioterapia Dermato-Funcional. Espia só:
  • Curso online Massagem Desportiva
  • Drive Virtual de Fisioterapia Desportiva, apenas R$ 7,90
  • Eletrotermofototerapia - Curso com Prof. Dr. Thiago Fukuda
  • Combo Joelho e Quadril - Cursos Online
  • Curso Online de Fisioterapia Desportiva


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.