Sabe aquela dor que você sente no dia que segue um treino pesado? Ela é chamada de Dor Muscular de Início Tardio ou DOMS (Delayed Onset Musc...

Dor Muscular de Início Tardio







Sabe aquela dor que você sente no dia que segue um treino pesado? Ela é chamada de Dor Muscular de Início Tardio ou DOMS (Delayed Onset Muscle Soreness), às vezes também conhecida como febre muscular.

Esse fenômeno se dá através de dor ou enrijecimento muscular que aparece várias horas após a realização de exercícios para os quais seu corpo não estava acostumado ou após uma sessão de treinamento de carga e/ou volume elevados. Ela é percebida como uma dor “chatinha”, que se evidencia apenas quando o músculo é alongado, contraído ou colocado sob pressão. Geralmente sua intensidade aumenta nas primeiras 24hs, alcança seu pico entre 24 e 72hs, entrando em declínio e desaparecendo depois de 5 a 7 dias após a realização dos exercícios.

Essa dor, ainda hoje, é associada ao acúmulo de ácido lático nos músculos. De fato, esse supbroduto da produção anaeróbia de energia para a contração muscular causa uma dor aguda que, entretanto, desaparece tão logo o fluxo sangüíneo da região exercitada seja reestabelecido. Atualmente sabe-se que o ácido lático é eliminado do organismo em até 3 horas após o término da atividade física.

A teoria mais aceita na atualidade é que a dor tardia está associada aos microtraumas musculares, provocados pelo esforço de um determinado exercício. O corpo responde um uma inflamação local, acompanhada de edemas e dores.

E então, isso é benéfico ou não? Eu diria que sim, uma vez que, no processo de regeneração das microlesões, o músculo vai se remodelando como forma de se adaptar ao exercício, o que resulta em fortalecimento. Entretanto, A força muscular diminui durante o processo doloroso. Para o dia seguinte ao treino, são necessários repouso, reposição nutricional e hídrica para que o músculo recupere sua integridade. Se for treinar, este deve ser composto de exercícios regenerativos.

Masoquismo ou não, acredito que a maioria dos triatletas irão concordar comigo de que essa é uma “dor gostosa”, sinal de que seu corpo está reagindo e buscando melhorar sua performance. Mas não seja cabeça dura! Se o quadro de dor for muito forte ou prolongado, reduza a intensidade dos treinos e procure um especialista!

Fonte


Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter



Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui
Curso online completo de Massagem Esportiva com o Fisioterapeuta da Seleção Brasileira Sub-20. Prof. Dr. Wallace Stefanini. Você vai aprender sobre Fundamentos e Técnicas da Massagem Terapêutica. Fisiologia da Lesão e Disfunções Segmentares. Fundamentos da Massagem Desportiva. Clique aqui

Poste um Comentário

Faça Fisioterapia