A fisioterapia preventiva é feita sempre antes dos treinamentos, com exercícios específicos para fortalecer as musculaturas mais exigidas ...

Rugbi aposta em fisioterapia preventiva


A fisioterapia preventiva é feita sempre antes dos treinamentos, com exercícios específicos para fortalecer as musculaturas mais exigidas nos treinos e jogos. Este método tem atividades elaborados, implantados e executados pelo fisioterapeuta da OMDA/Unisul, Dr. Sayron Elias.
 
"Procuro fazer com que os atletas entendam a importância desse trabalho, pois o bom resultado depende da dedicação e disciplina deles nos exercícios. Tento sempre fazer variações e torná-los descontraídos, isso ajuda a manter os atletas motivados na execução dos exercícios", comenta Sayron.
 
"Esse trabalho é de extrema importância para a equipe de rúgbi, pois os jogos exigem muito fisicamente dos atletas, a perda de um atleta por lesão modifica todo o planejamento e estratégia de jogo, podendo ser decisivo no desempenho da equipe na competição", comentou Fábio Hardt, técnico da equipe.
 
Além desse trabalho, os atletas devem iniciar a musculação e acompanhamento nutricional para complementar e garantir a ideal forma física nas competições. O primeiro compromisso será o 4° Campeonato Brasileiro em maio na cidade de Belo Horizonte/MG.
 
Pessoas com deficiência interessadas em participar das atividades e empresas dispostas a entrar no time de patrocinadores da OMDA /Unisul devem entrar em contato pelo email omda@omda.org.br ou pelos telefones (48) 9967-4749 ou (48) 8812-1852.

O handebol é considerado um esporte olímpico desde 1972. Muito praticado em países europeus, foi introduzido no Brasil pelos imigrantes por ...

Lesões no Handebol



O handebol é considerado um esporte olímpico desde 1972. Muito praticado em países europeus, foi introduzido no Brasil pelos imigrantes por volta de 1930, principalmente pela colônia alemã. O handebol ganhou popularidade sendo considerado hoje um dos esportes mais praticados no país, principalmente no meio universitário.

O handebol é um esporte rápido, de muito contato, que exige do atleta uma grande habilidade para execução de gestos com tomadas de decisões rápidas. Dessa forma, o atleta deve desempenhar tarefas com uma boa coordenação do sistema sensório-motor, caso contrário, a execução desses gestos pode levar a um risco maior de lesões.

A ocorrência de lesões no handebol pode estar relacionada a diversos fatores:

Intrínsecos: idade, sexo, flexibilidade, equilíbrio muscular, lesões pregressas, emocional;
Extrínsecos: calçado, piso, treinamento, regras, biomecânica do gesto esportivo, trauma direto.

As regiões mais comumente lesionadas nesses atletas são tornozelo, joelho, mãos e dedos, superando o ombro. Isso demonstra, que apesar do handebol ser uma modalidade que tem como fundamento principal o arremesso, exige do atleta uma grande variedade de movimentos. Observa-se um maior índice dentre as lesões os entorses de tornozelo e a ruptura do LCA. As lesões traumáticas podem ser ocasionadas pelo contato com o oponente, com o solo ou mesmo com a bola. Ainda, há lesões que podem ser causadas pela repetição do gesto e/ou excesso de treinamento, dentre as quais as mais relatadas são as tendinopatias.

De acordo com a posição do jogador e outras características, como tempo de prática da modalidade, pode-se correlacionar a uma maior incidência de determinada lesão. O goleiro de handebol pode apresentar epicondilites de cotovelo e lesões cápsulo-ligamentares dos dedos das mãos, por causa do trauma repetitivo realizado na defesa da bola.  Já os meias e pontas por realizarem mais arremessos, jogadores com mais tempo de atividade, podem apresentar lesões por sobrecarga no ombro.

Além disso, é necessário sempre pensar em um trabalho de prevenção de lesões para estes atletas. E esta é uma prática que tem crescido muito entre os profissionais envolvidos no esporte e que, para ser efetiva, deve contar com conhecimento do gesto esportivo especifico do esporte e da incidência de lesões.

Ft. Gabriela Borin
Fonte

Faça Fisioterapia