Treinamento funcional e seu benefícios


>




Muitas vezes, por questões estéticas ou mesmo falta de informação, as pessoas fortalecem apenas a musculatura mais superficiais e de forma isolada, sem se preocupar com o movimento integrado e natural do organismo. Isso acontece na musculação convencional. Assim, os músculos fortes ficam cada vez mais fortes e consequentemente os músculos mais fracos estabilizadores e importantíssimos na estabilização corporal ficam cada vez mais fracos. Esta forma de treinamento gera assimetrias e um desequilíbrio progressivo, com redução da harmonia e eficiência dos movimentos, gerando condições diretas para lesões comuns.

O equilíbrio pode ser entendido por três caminhos: a capacidade de manter uma posição, a capacidade para voluntariamente mover-se e a capacidade para reagir a uma perturbação.

Os músculos do corpo apresentam continuamente uma corrente para corrigir os distúrbios no centro de gravidade. Vale ressaltar que, quando o atleta está em pé, o centro de gravidade passa proximalmente e anteriormente à segunda vértebra sacral da coluna e esse ponto se modifica conforme os movimentos do jogo. Sendo assim, posso citar como exemplo o desafio do equilíbrio que força o corpo para frente, quando a base de suporte está nos pés e a cadeia de sistemas que contrapõe esse movimento começa com o tornozelo. Os músculos posteriores do tornozelo e das pernas contrairão para contrapor-se ao movimento, puxando o corpo e conseguindo promover o equilíbrio de modo a levar o ponto gravitacional ao lugar específico do corpo. Se o equilíbrio está forçando para trás, os músculos anteriores da perna serão contraídos e o trabalho para puxar as costas para o centro de gravidade se realizará.

Os principais benefícios estão diretamente relacionados a melhora na postura, mais equilíbrio, agilidade, flexibilidade, força muscular, coordenação motora, alívio das dores nas costas, melhora do sistema cardiorrespiratório. Os exercícios contribuem para um emagrecimento saudável pois melhoram o tônus muscular e aumentam o gasto calórico.

O treinamento funcional bem sistematizado ajuda a fortalecer o CORE (centro de gravidade do nosso corpo) onde se encontram os músculos abdominais, lombares, glúteos e os oblíquos.

Localizados na região ao redor do tronco na linha da coluna lombar, esses músculos suportam e estabilizam a bacia, pélvis e o abdômen. Ao fortalecer essa região, adquirimos uma força muscular nos principais músculos atuantes na função do equilíbrio corporal. Outros regiões do nosso corpo também podem ter exercícios específicos para o equilíbrio corporal como os quadríceps e posteriores da coxa.

Além da tonificação muscular, o Treinamento Funcional implica numa maior complexidade do movimento e no envolvimento de várias capacidades físicas. Isso faz com que o organismo tenha um gasto energético muito maior, além de trazer grandes contribuições, como a melhora da flexibilidade, o emagrecimento, a otimização da coordenação motora, o ganho de equilíbrio e o condicionamento cardiorrespiratório, melhora da postura, estabilidade das articulações e principalmente da coluna vertebral.
Treinamento funcional e seu benefícios Treinamento funcional e seu benefícios Revisado by Faça Fisioterapia on 17:50 Nota: 5