Fisioterapia nos esportes


>







A área desportiva é, sem dúvida alguma, uma das especializações que mais crescem na área da fisioterapia. Hoje em dia, o esporte movimenta milhões de dólares e o cuidado com o atleta se tornou ferramenta de grande valia para clubes e agremiações.

Conseqüentemente, o investimento em profissionais altamente qualificados e especializados é inevitável. Atualmente, o fisioterapeuta da área desportiva deve ter conhecimento nas três áreas de atuação fisioterapêutica: primária, secundária e terciária.

Na fase primária, que envolve a prevenção de lesões, o fisioterapeuta deve ter conhecimento específico em Anatomia e Histologia Esportiva, Fisiologia do Exercício, bem como a Biomecânica e a Cinesiologia Desportiva, nas quais se estudam movimentos e forças atuantes nas estruturas osteomioarticulares do corpo humano; além de conhecimentos básicos de Farmacologia e Nutrição Esportiva, os quais são essenciais para conseguir identificar fatores que possam contribuir para trabalho preventivo.

O estudo das principais lesões esportivas e suas respectivas etiologias se torna imprescindível, tanto para um trabalho na fase primária, como na secundária, a qual atua no tratamento das afecções esportivas. Na fase terciária, objetiva-se a manutenção da performance atlética e a prevenção de recidivas de lesões. O uso de técnicas adequadas, aprimoramento tecnológico e a busca de conhecimentos científicos aliados à prática clínica devem ser os objetivos do fisioterapeuta atuante na área desportiva.

Fisioterapia desportiva, ou esportiva, tem um papel fundamental na prevenção das lesões, assim como na resolução dos problemas mais comuns que afetam esses atletas, contribuindo para a redução do tempo de tratamento e retorno mais rápido à prática esportiva. Estudos científicos têm sido feitos e publicados quase que diariamente em fontes de pesquisa, como MedLine, Lilacs, Bireme, PeDro… permitindo que nós, profissionais da Fisioterapia, estejamos sempre antenados com as mais recentes pesquisas científicas, podendo aplicá-las em nossos atletas de forma clara e consciente.

O Tratamento fisioterápico nessa área esportiva é muito parecido com o tratamento ortopédico desenvolvido nas clínicas em geral, porém, algumas peculiaridades são fundamentais e a principal delas é a necessidade do fisioterapeuta conhecer o esporte em questão, para, de acordo com as necessidades exigidas no ato esportivo, traçar um plano de tratamento adequado.


pequena-como-é-o-trabalho-da-fisioterapia-no-esporte-2Nesse sentido, os recursos eletroterápicos, como TENS (Neuroestimulação Elétrica Transcutânea), FES (Estimulação Elétrica Funcional) e demais ”correntes” são uma ferramenta importante nas fases inicias da dor e redução do processo inflamatório. A termoterapia, com o infra vermelho e o ultrassom, ajuda na aceleração do metabolismo anti-inflamatório, contribuindo para a aceleração na cicatrização.

Já o Laser, tem sido largamente utilizado em lesões nos músculos, devido à sua grande atuação na regeneração dessas células. Esse aparelho tem sido foco de estudos recentes que têm evidenciado os inúmeros benefícios da laserterapia. Além dos aparelhos citados, a terapia manual, com alongamentos, manipulações, correções posturais e aplicações de bandagens são fundamentais para um plano de tratamento bem estruturado. Seja com a Osteopatia, o RPG, Pilates, Hidroterapia ou outra técnica, a atuação do fisioterapeuta permite uma análise do movimento e consequentes adequações para a prática esportiva.


Fisioterapia nos esportes Fisioterapia nos esportes Revisado by Faça Fisioterapia on 10:54 Nota: 5